Sr. Płatek Filipek e sua primeira viagem à Terra

Sr. Płatek Filipek e sua primeira viagem no chão

Conto de fadas terapêutico

Objetivos principais: reduzindo o medo de novas situações e novos ambientes.

Conteúdo de conto de fadas:

Eu gostaria de apresentar a vocês a história do Sr. Płatek Filipek – andarilho famoso, conquistadores de muitos picos, que mais de um inverno viaja ao redor do mundo. Bem, Sr. Płatek Filipek, assim como você era um floco de neve completamente pequeno. O Sr. Płatek Filipek se lembra de sua primeira viagem à Terra como nenhum outro.

No frio, Noite de inverno do Sr. Płatek – um menino foi enviado do céu para a terra. Esta jornada para o desconhecido não sorriu de todo, embora ele já tivesse aprendido a voar e soubesse perfeitamente bem, como lidar com rajadas de vento muito fortes. Mas o que poderia ser feito, quando todo mundo estava falando: está na hora!! Ele embalou uma mochila, ele colocou uma capa branca, que sua avó tinha tricotado para ele e ele estava a caminho.

Ele saiu da nuvem de penas, que tinha sido sua casa até então, e ele sentiu, enquanto o ar enche seus pequenos pulmões.

– Vento forte, Visibilidade pobre, nenhum contato com a Torre de Aviação – ele avaliou rapidamente a situação

Sr. Filipek – Não é bom… – ele pensou, e com maior velocidade ele se perguntou se não poderia ir para casa ainda. Ele fechou os olhos com medo e se encolheu. Cerrando as pálpebras brancas com força, ele tentou se lembrar de seus amigos. Por um momento seu coração ficou mais quente, no entanto, assim que eles abriram suas pálpebras de uma vez, todo o medo voltou com força redobrada.

– O que fazer, o que fazer? – ele se perguntou mentalmente, mas nada veio à mente.

Então ele ouviu uma voz muito suave vindo diretamente da escuridão.

– Abra bem os braços e as pernas! Aprumar-se! - Essas observações a princípio pareceram completamente absurdas para Filip. É assim, como se sua mãe lhe dissesse para calçar botas de cano alto e uma capa de chuva em um dia ensolarado. O que isso pode ajudar agora, quando ele está completamente sozinho aqui e a escuridão o cerca.

– E! Por que tinha que ser eu? Por que? – foi arrancado do peito de Filip. Somente, quando uma voz suave da escuridão respondeu à sua pergunta, ele percebeu, que esses não eram mais seus pensamentos, mas um grito alto.

– Porque você está pronto para isso! Você pode voar lindamente! Você simplesmente não pode mais ter medo. Abra seus braços e pernas, e você verá, eu estou certo!

– Ah e ai! – pensou o Sr. Płatek Filipek e cumpriu as ordens da misteriosa voz da escuridão. O que aconteceu depois de um tempo surpreendeu completamente nosso amiguinho. Bem, de repente o vento deixou de ser seu inimigo. Contrário, permitiu ao Sr. Filipek realizar duas piruetas de salto no ar e, adicionalmente, finalizá-las com um sal. Quão grande foi a alegria de Petek, quando ele descobriu suas possibilidades. Ele não estava mais com medo. Seus olhos se arregalaram. Quando ele se acostumou com a escuridão ao seu redor, ele viu uma linda Lucyka Petal voando nas proximidades. Ele não sabia então, qual é o nome dele, mas ele tinha certeza, que foi ela quem o ajudou nesta situação difícil.

– Juchuuu! Estou aqui! – um novo amigo do Sr. Filipek gritou – eu te disse? Você pode voar lindamente! – Lucynka disse, piscando para o nosso amigo. Sr. Filipek corou ligeiramente, e porque sua pele era completamente branca (como convém a flocos de neve) não podia contar com isso, que o rubor passará despercebido.

– Obrigada! – Filipek vai gritar em resposta – é uma sensação tão maravilhosa! Eu danço no ar! – a alegria fluindo com as palavras do Sr. Filipek parecia não ter limites. Para piorar as coisas, naquele momento, um belo beco de inverno apareceu diante de seus olhos e Petals Lucynka, coberto de árvores ramificadas em ambos os lados. Segundo a segundo, o vôo das pétalas foi ficando mais lento e calmo. Lucynka na luz que vem do antigo, lâmpada barroca parecia completamente uma bailarina.

– Hymmm… primeiros convidados no horizonte… Ele soou do nada, de repente uma voz masculina grossa. Sr. Filipek percebeu rapidamente, que seu dono é o antigo, uma castanha enrugada na entrada de um caminho de pedra.

– Bom dia Jakub! – Lucynka chorou Petal – Como você está?

– E, muito bem, embora este ano eu sofra de reumatismo. E voce Lucynka? Como foi sua jornada? – Jacob, o castanho trovejou.

– Obrigada, muito bom! Desta vez, o vento soprava forte do oeste, para que pudéssemos girar lindamente todo o caminho. Este é meu novo amigo – Lucynka disse apontando para o Sr. Filipek – mas eu realmente não sei, qual é o nome dele… – Petka percebeu.

– Filipek, meu nome é petal filipek- Nosso amigo quebrou o silêncio rapidamente.

– Então seja bem-vindo, Pete Filipek à Terra- disse Jakub com orgulho.

– Eeee… boa noite – Filipek murmurou, intimidado com o tamanho do seu novo amigo. Um momento depois, provavelmente duas piscadas depois, nosso herói e Petka Lucynka pousaram em um dos sapatos picantes de Jakub.

– Oj, oj, oj! – Filipek escapou, który w czasie lądowania dwukrotnie się potknął i upadł. – Você tinha que ter cuidado nas aulas de aterrissagem – ele pensou um pouco envergonhado. Antes que ele pudesse ficar com as pernas esticadas, Lucynka estava ao seu lado. Ela estendeu a mão branca para ele e ajudou-o a se levantar.

– Ah bem, podemos anunciar para o mundo inteiro com a sua chegada, aquele inverno está prestes a começar – Jakub resmungou – casado, casado, casado… Eu perdi minhas folhas alguns dias atrás, então sua visita não é uma surpresa para mim. Quando uma temporada termina, o próximo começa. Estou triste sem meus amigos folha verde, mas agora você vai me acompanhar – Jacob Chestnut disse esperançosamente.

– Yhymm… – Lucynka respondeu baixinho – Eu adoraria ficar aqui durante todo o inverno, e Ty Filikpku? Voce vai ficar? – Lucynka perguntou a pétala do nosso amigo.

– Quando saí de casa fiquei com medo, que vou sozinho. Quando eu olho para você, eu sei disso, isso não é verdade. Eu não tenho mais medo. – O Sr. Płateczek Filipek respondeu com orgulho.

Naquela primeira noite de inverno na Terra, nosso amigo se sentiu tão feliz como sempre… .>